Dúvidas Nota Fiscal Eletrônica

  • Quanto custa utilizar o sistema NotaJá?

    O NotaJá oferece 30 dias gratuitos para uso, sem restrição alguma do sistema. Você pode emitir quantas notas quiser, em todos os ambientes, e usar todo o sistema durante 30 dias, sem pagar nada por isso. Inclusive pode ter todo o nosso suporte.
    Após os 30 dias de uso, é necessário que se faça a contratação do sistema para continuar utilizando. Clique aqui e conheça os nossos planos!
  • Como funciona a aquisição do sistema NotaJá?

    Após os 30 dias de uso gratuito, é necessário que faça a contratação do sistema para continuar utilizando. A aquisição é feita mediante ao nosso website ou através do próprio sistema, onde você pode adquirir o plano anual e pagar à vista via boleto ou parcelar no cartão de crédito.
  • Vai vencer meu período de uso do NotaJá e quero continuar utilizando o sistema. Como funciona a renovação da compra do NotaJá?

    Se você estiver no período de 30 dias de uso gratuitos, basta realizar a aquisição do sistema. Se já foi realizada a compra do sistema, dentro do próprio NotaJá você será alertado assim que seu próximo boleto estiver disponível para pagamento, demonstrando o vencimento do mesmo e o valor, bastando efetuar o pagamento do boleto antes do vencimento dele para continuar utilizando o sistema.
  • Como é feito o pagamento pelo uso do NotaJá, após os 30 dias de uso grátis?

    O pagamento do NotaJá é feito mediante boleto bancário. O boleto pode ser gerado dentro do próprio sistema, através do menu de acesso a sua conta, ou através do acesso a sua conta em nosso site da DPComp.
  • Já fiz o pagamento para continuar utilizando o sistema, porém ainda aparece o boleto como disponível para pagamento. Quanto tempo demora para que reconheça o pagamento que eu fiz?

    Se você já fez o pagamento do boleto para continuar utilizando o sistema NotaJá, fique tranquilo que não é necessário pagar novamente. Demora entre 1 à 3 dias úteis para compensar o boleto e, após esse período, o boleto não deverá mais aparecer para pagamento.
    Se por ventura você não estiver conseguindo utilizar o sistema NotaJá, entre em contato conosco através de nosso chat.
  • Como atualizar o sistema NotaJá?

    Ao abrir o sistema NotaJá, o mesmo verifica automaticamente se existe alguma nova versão disponível para download. Se houver, o sistema irá avisar e iniciar o procedimento de download da atualização, bastando apenas seguir os passos em tela para atualizar o sistema.
    Outro meio de atualizar o sistema é através do item de menu Suporte - Verificar atualizações do sistema.
    Caso nenhum das duas maneiras de atualização do sistema deem certo, clique aqui para efetuar o download da atualização do sistema, ou clique aqui para efetuar o download da instalação completa e execute a mesma após o término do download. Somente execute a instalação completa caso desejar instalar o banco de dados, que deve ser instalado em apenas um computador - se for utilizar em mais de um local.
  • Por que atualizar o sistema NotaJá?

    A NFe e NFSe sofrem atualizações devido à legislações, adaptações e melhorias de implantação do sistema de nota fiscal eletrônica. Para acompanhar essas mudanças, o sistema NotaJá também passa por atualizações, se fazendo necessário estar em dia com o sistema.
    Além das mudanças por parte da Receita Federal, o sistema NotaJá está em constante melhoria para melhor atender a todos nossos clientes e facilitar ainda mais esse complexo ambiente da nota fiscal eletrônica.
  • Vou perder algum dado ao atualizar o sistema NotaJá?

    Não haverá perda de nenhum dado e nem de XML. Nenhum dado, seja do emissor, clientes, fornecedores, produtos, transportadores, cálculos automatizados, notas fiscais em quaisquer status, controle de estoque, contas à receber, contas à pagar e tudo mais que o sistema utiliza será perdido após o processo de atualização do sistema.
  • Existe algum custo para atualizar o sistema NotaJá?

    Não. A atualização do sistema NotaJá é gratuita.
  • O sistema apresenta a mensagem que o programa DPUpdate não foi encontrado quando eu tento atualizar. O que fazer?

    O programa NotaJá precisa se comunicar com o site do NotaJá para que seja possível realizar o download de maneira automática através do sistema, sem a necessidade de vir no site e atualizar o mesmo. Devido à esta comunicação, alguns antivírus podem reconhecer o NotaJá como um falso-positivo, isso é, uma possível ameaça que não é verdadeira, detectada por algoritmos genéricos, deletando ou colocando em quarentena o executável DPUpdate, que realiza o download da atualização do sistema.
    Para solucionar, é necessário seguir os seguintes passos:
    1) Desative o seu antivírus temporariamente;
    Normalmente para realizar esse procedimento, basta clicar com o botão direito no ícone dele e usar a opção para desativar por 1 hora ou até reiniciar.
    2) Baixe e execute a atualização do sistema NotaJá manualmente;
    Clique aqui para efetuar o download manual da atualização do sistema NotaJá. Após o término do download, execute e siga os passos em tela. Ao final, não execute o NotaJá (desmarque a opção) e, caso peça para reiniciar, marque a opção que irá reiniciar mais tarde. É necessário possuir privilégios administrativos no Windows para efetuar a atualização do sistema sem erros.
    3) Inclua os executáveis do NotaJá na lista de exceções ou confiáveis de seu antivírus;
    Leia mais em 'Como adiciono o NotaJá na lista de exceções ou confiáveis de meu antivírus?', logo abaixo.
    4) Reinicie a sua máquina;
    Caso tenha aparecido após a atualização para reiniciar a máquina, faça-o agora.
  • Como adiciono o NotaJá na lista de exceções ou confiáveis de meu antivírus?

    As vezes é necessário incluir na lista de exceções ou de confiáveis de seu antivírus os programas e pastas do sistema NotaJá, para que o mesmo opere sem bloqueios.
    Para tal, deve-se incluir os seguintes caminhos:
    Pasta de instalação do NotaJá: C:\Program Files\Dpcompg\NotaJa ou C:\Program Files (x86)\Dpcompg\NotaJa ou C:\Arquivos de Programas\Dpcompg\NotaJa ou C:\Arquivos de Programas (x86)\Dpcompg\NotaJa, de acordo com a versão do seu sistema operacional.
    Pasta de arquivos XML do NotaJá: C:\NFE ou o caminho configurado no sistema (se trabalhar em rede)
    Verifique com o suporte do seu antivírus ou com o pessoa que cuida da parte de redes e computadores da sua empresa para saber como incluir esses caminhos no seu antivírus. Veja mais em:
    - Avast
    - Kaspersky
    - Avira
    - AVG
    - Norton
  • Posso usar o NotaJá em mais de uma maquina (em rede)? Existe algum custo adicional para isso?

    Sim, o sistema NotaJá pode ser utilizado em rede, instalado em quantas máquinas você quiser, porém recomendamos que nesses casos entre em contato com o nosso suporte para que possamos instruir melhor o procedimento.
    Não há nenhum custo adicional para usar o sistema NotaJá em rede.
  • Estou em casa e quero ver meu faturamento. Posso acessar o NotaJá que está instalado em minha empresa?

    Sim, porém é necessário que o IP da sua empresa seja fixo e que o servidor onde contém os dados do NotaJá esteja ligado. Além disso, é necessário instalar o NotaJá em sua máquina local.
    O NotaJá não é um sistema web, onde os dados ficam em nuvem e podem ser acessados através de um navegador, como Internet Explorer, Mozilla Firefox ou Google Chrome.
  • Onde ficam os arquivos referentes ao NotaJá, como a base de dados e os XML?

    O NotaJá é um sistema que é instalado localmente em seu computador, então todos os dados ficam no mesmo computador onde foi instalado o sistema. Por essa razão, o backup das informações ficam por sua responsabilidade e nós não temos nenhum acesso aos seus dados e informações.
    Pasta de instalação do NotaJá: C:\Program Files\Dpcompg\NotaJa ou C:\Program Files (x86)\Dpcompg\NotaJa ou C:\Arquivos de Programas\Dpcompg\NotaJa ou C:\Arquivos de Programas (x86)\Dpcompg\NotaJa, de acordo com a versão do seu sistema operacional.
    Pasta dos arquivos XML gerados pelo NotaJá: Por padrão, os arquivos XML ficam localizados dentro da pasta C:\NFE\XmlDestinatarios\CNPJ-da-sua-Empresa, podendo ser modificado para gravar em outro local.
    Pasta de instalação do banco de dados do NotaJá: C:\DPCOMPV, lembrando que o banco de dados deve existir apenas em uma estação, a chamada servidor.
  • Baixei o sistema, mas não consigo instalar. O que acontece e o que eu faço?

    Por ser um sistema que é instalado localmente em seu computador, apesar de termos milhares que clientes que utilizam o sistema, cada maquina é uma situação. Normalmente antivírus ou o próprio sistema operacional podem bloquear a instalação do sistema. Se o antivírus bloquear, recomendamos que desative o antivírus, instale o sistema e coloque o sistema na lista de exceções do antivírus, para que o mesmo não bloqueie o NotaJá. É necessário esses passos, pois alguns antivírus podem reconhecer o NotaJá como sendo um falso-positivo, ou seja, identificam o sistema como alguma fonte de vírus através de algoritmos genéricos, o que não significa que o sistema é malicioso. Caso haja algum problema ou dúvida, recomendamos que entre em contato com o nosso suporte para que o auxiliemos na instalação do NotaJá.
  • Minha nota foi rejeitada pela Receita Federal. O que fazer?

    Deve-se corrigir o motivo da rejeição da nota fiscal e enviar novamente, até que a nota seja autorizada. Se persistir o problema, entre em contato com o nosso suporte para que lhe auxiliemos.
  • Como posso ter suporte para o uso do sistema?

    O suporte do sistema NotaJá é exclusivo por chat online, em período comercial, de segunda à sexta. O acesso ao suporte pode ser feito através de nosso site, no canto superior direito ou no canto inferior esquerdo, clicando em suporte ao vivo, no botão verde, ou pode ser realizado através do site da DPComp, clicando em atendimento online no topo da tela, ou dentro do próprio sistema NotaJá, clicando no menu suporte - atendimento por chat. Qualquer um desses meios lhe dará acesso ao nosso suporte.
  • Quero ter suporte por telefone. Como devo proceder?

    O suporte telefônico não está incluso no período gratuito e nem na mensalidade do sistema. Se achar necessário ter o suporte por telefone, entre em contato com o nosso departamento de vendas, solicitando o mesmo.
  • Quando abro o sistema NotaJá ou quando eu tento emitir uma nota fiscal, aparece uma mensagem dizendo que foram encontradas pendências. O que fazer?

    Essa mensagem se deve normalmente ao fato de ter vencido o prazo de utilização do NotaJá e não foi identificado o pagamento referente ao período, de acordo com o seu plano contrato. Os boletos são gerados de forma automática e ficam disponíveis em tela para que você realize o pagamento, mediante o plano escolhido. É necessário efetuar o pagamento pelo boleto para que seja feita a liberação de uso do sistema.
    Caso já tenha realizado o pagamento do boleto e mesmo assim está bloqueado, ou precisa emitir uma nota com muita urgência, entre em contato através de nosso chat.
  • Quando abro o sistema, apresenta uma mensagem dizendo que a estrutura de base de dados está inválida. O que eu faço?

    Entre em contato conosco através de nosso chat para que possamos tentar corrigir o problema.
    Esse problema normalmente se deve ao fato de desligamento incorreto do computador ou de uma queda de energia.
  • A partir de que data começa a contar os meus 30 dias de uso grátis?

    No momento que é realizado o cadastro de sua empresa emissora de notas fiscais.
  • Como é a licença de uso do NotaJá?

    A licença do NotaJá é por CNPJ da empresa emissora de notas fiscais.
  • Que tipos de notas fiscais eu consigo emitir com o NotaJá?

    Com o NotaJá é possível emitir a Nota Fiscal Eletrônica (NFe) - modelo 55, e a Nota Fiscal Eletrônica de Serviços (NFSe) para a prefeitura de seu município, onde é realizada o Recibo Provisório de Serviços (RPS) e transformado em NFSe. Para a NFSe, verifique a lista de cidades homologadas através do link acima de NF de Serviço.
  • Com uma assinatura do NotaJá, o que eu posso fazer?

    Tudo que era realizado durante o período de 30 dias gratuitos, sem nenhum diferencial.
  • Tenho várias empresas que emitem notas fiscais. Como o NotaJá pode me atender?

    O NotaJá é um sistema multiempresas e com apenas um sistema instalado é possível emitir notas fiscais para diversas empresas.
    A licença de uso do NotaJá é por CNPJ, então é necessário que haja a contratação de uma licença do sistema para cada empresa emissora de notas fiscais.
  • Gostaria de ter um treinamento para o sistema. Como devo proceder?

    Nós oferecemos treinamento do sistema em nossa sede gratuitamente e in loco (em sua sede), porém nesse segundo caso existe um custo. Para ambos os casos, entre em contato com o nosso departamento comercial.
  • Tenho que formatar meu computador. Como procedo para não perder nada do NotaJá?

    É necessário que seja realizado o backup do sistema e depois que formatar a maquina, restaurado.
  • Como faço o backup do sistema NotaJá?

    Ao abrir o sistema, é exibida a mensagem de como proceder com o backup ou restauração do sistema. Basta seguir os passos em tela ou assistir aos nossos vídeos tutoriais. Se houver alguma dúvida, entre em contato com o nosso suporte.
  • Tive que formatar meu computador e não tenho backup do sistema NotaJá. Como procedo?

    Se você não tiver nenhum backup do NotaJá, seja o realizado por nosso sistema ou manual que você tenha realizado, é necessário que se faça o cadastro de todos os dados novamente, modificando a nota fiscal inicial para a última que foi emitida, a fim de evitar erro de duplicidade de nota fiscal por conta da Receita Federal. Se por ventura você tiver ao menos algum XML em seu email, é possível realizar a importação do XML para o sistema. Nesse caso, entre em contato com o nosso suporte para auxiliá-lo.
  • Quero ter um backup dos XMLs que emito em meu email. Como faço?

    No cadastro do emissor de notas fiscais, informe o email que deseja receber o XML, podendo ser mais de um, separados por ; (ponto-e-vírgula). Ao enviar por email o XML, o sistema irá preencher o campo de email 'para' com esse email, além do cadastrado no cliente.
  • Eu utilizava outro sistema emissor de notas fiscais e agora quero usar o NotaJá. Como eu devo proceder?

    Primeiro deve-se instalar o NotaJá e cadastrar a empresa emissora de notas fiscais. Após isso, deve-se configurar o número da nota fiscal inicial, que deve seguir a sequência da última que foi emitida no outro sistema.
    Se por ventura quiser realizar a importação das notas do outro sistema para o NotaJá, entre em contato com o nosso suporte.
  • O sistema apresenta a série da nota fiscal como sendo 1, porém eu já estou em outra série. Como faço para alterar?

    Dentro do menu do sistema, Arquivos - Cadastros - Tabelas - Configurações do Certificado Digital, é possível alterar o número da série da nota fiscal.
  • Consigo importar os meus dados já feitos anteriormente?

    Sim. É possível realizar importação de XML ou do arquivo TXT no padrão SEFAZ para o NotaJá, das notas de saída. Entre em contato para saber mais detalhes.
  • Quais procedimentos devo fazer para emitir nota fiscal eletrônica?

    Providenciar a compra do Certificado Digital padrão ICP Brasil para emissão de nota fiscal eletrônica;
    Credenciamento junto ao posto fiscal eletrônico;
    Contratar sistema de emissão de nota fiscal eletrônica;
  • Consigo emitir uma nota fiscal complementar?

    Sim.
  • Consigo emitir uma nota fiscal de ajuste?

    Sim.
  • Consigo cancelar uma nota fiscal dentro do NotaJá?

    Sim, desde que a nota respeite o prazo previsto pela SEFAZ de origem.
  • No NotaJá consigo emitir uma nota com mais de uma natureza de operação?

    Sim, desde que a nota possua mais de um produto, informar uma natureza de operação no cabeçalho da nota e informar a outra natureza de operação no lançamento do produto.
  • Consigo exportar minhas notas para PDF?

    Sim, após emiti-las na tela de lançamento da nota é possível clicar na opção, exportar nota fiscal para PDF.
  • Consigo enviar o xml da nota por e-mail para o cliente?

    Sim, após imprimir a nota aparecerá uma opção de envio de xml basta clicar em (SIM) para que o xml seja enviado para o cliente. É necessário cadastrar ou informar o e-mail da empresa, contador e o e-mail do cliente.
  • Com o NotaJá eu consigo gerar carta de correção eletrônica?

    Sim, é possível gerar a carta de correção eletrônica, imprimi-la e enviar o xml da carta de correção eletrônica por e-mail para o seu cliente e para seu contador. A impressão da carta de correção eletrônica não está previsto pela SEFAZ, sendo um diferencial do sistema NotaJá.
  • O sistema NotaJá trabalha com os certificados A1 e A3?

    Sim, tanto o A1 quanto o A3 no padrão ICP Brasil.
  • Utilizando o NotaJá eu consigo enviar nota fiscal direto para a SEFAZ?

    Sim, tudo de maneira automática.
  • O NotaJá permite lançar nota fiscal de entrada?

    Sim, de importação e para controle de estoque efetua-se o lançamento manual.
  • Quais os modelos de certificados digitais o NotaJá opera?

    Todos pelo padrão ICP –Brasil com exceção do certificado Servidor Serasa.
  • É obrigatório a inscrição estadual para emitir nota fiscal eletrônica?

    Sim
  • Consigo utilizar mais de uma empresa dentro do NotaJá?

    Sim. O sistema opera com vários CNPJ, porém a contratação de licença de uso é por CNPJ.
  • Quais as vantagens da nota fiscal eletrônica?

    A Nota Fiscal Eletrônica proporciona benefícios a todos os envolvidos em uma transação comercial.

    Para os emitentes da Nota Fiscal Eletrônica (vendedores) podemos citar os seguintes benefícios:

    Redução de custos de impressão do documento fiscal, uma vez que o documento é emitido eletronicamente. O modelo da NF-e contempla a impressão de um documento em papel, chamado de Documento Auxiliar da Nota Fiscal Eletrônica (DANFE), cuja função é acompanhar o trânsito das mercadorias ou facilitar a consulta da respectiva NF-e na internet. Apesar de ainda haver, portanto, a impressão de um documento em papel, deve-se notar que este pode ser impresso em papel comum A4 (exceto papel jornal), geralmente em apenas uma via;

    Redução de custos de aquisição de papel, pelos mesmos motivos expostos acima;

    Redução de custos de armazenagem de documentos fiscais. Atualmente os documentos fiscais em papel devem ser guardados pelos contribuintes, para apresentação ao fisco pelo prazo decadencial. A redução de custo abrange não apenas o espaço físico necessário para adequada guarda de documentos fiscais como também toda a logística que se faz necessária para sua recuperação. Um contribuinte que emita, hipoteticamente, 100 Notas Fiscais por dia, contará com aproximadamente 2.000 notas por mês, acumulando cerca de 120.000 ao final de 5 anos. Ao emitir os documentos apenas eletronicamente a guarda do documento eletrônico continua sob responsabilidade do contribuinte, mas o custo do arquivamento digital é muito menor do que o custo do arquivamento físico;

    GED - Gerenciamento Eletrônico de Documentos: a NF-e é um documento eletrônico e não requer a digitalização do original em papel, o que permite a otimização dos processos de organização, guarda e gerenciamento de documentos eletrônicos, facilitando a recuperação e intercâmbio das informações;

    Simplificação de obrigações acessórias. Inicialmente a NF-e prevê dispensa de Autorização de Impressão de Documentos Fiscais – AIDF. No futuro outras obrigações acessórias poderão ser simplificadas ou eliminadas com a adoção da NF-e;

    Redução de tempo de parada de caminhões em Postos Fiscais de Fronteira. O Estado de São Paulo atualmente não possui postos de fronteiras; no entanto, outras Unidades da Federação possuem, e toda informação constante nos documentos fiscais devem ser digitadas nos seus sistemas nas verificações de fronteiras. Com a adoção da Nota Fiscal Eletrônica, a mercadoria é acompanhada pelo DANFE, citado anteriormente, que contém um código de barras que permite que a chave de acesso da Nota Fiscal Eletrônica seja capturada para que ela seja consultada na Internet. Em outras palavras, ao emitir uma Nota Fiscal Eletrônica, o fisco de todo o país já tem suas informações disponíveis, aguardando apenas a chave de acesso para consultá-la;

    Incentivo a uso de relacionamentos eletrônicos com clientes (B2B). O B2B (business-to-business) é uma das formas de comércio eletrônico existentes e envolve as empresas (relação "empresa - à - empresa"). Com o advento da NF-e, espera-se que tal relacionamento seja efetivamente impulsionado pela utilização de padrões abertos de comunicação pela Internet e pela segurança trazida pela certificação digital.

    Para as empresas destinatárias de Notas Fiscais (compradoras), podemos citar os seguintes benefícios:

    Eliminação de digitação de notas fiscais na recepção de mercadorias, uma vez que poderá adaptar seus sistemas para extrair as informações, já digitais, do documento eletrônico recebido. Isso pode representar redução de custos de mão-de-obra para efetuar a digitação, bem como a redução de possíveis erros de digitação de informações;

    Planejamento de logística de recepção de mercadorias pelo conhecimento antecipado da informação da NF-e, pois a previsibilidade das mercadorias a caminho permitirá prévia conferência da Nota Fiscal com o pedido, quantidade e preço, permitindo, além de outros benefícios, o uso racional de docas e áreas de estacionamento para caminhões;

    Redução de erros de escrituração devido à eliminação de erros de digitação de notas fiscais;

    GED - Gerenciamento Eletrônico de Documentos, conforme os motivos expostos nos benefícios das empresas emitentes;

    Incentivo a uso de relacionamentos eletrônicos com fornecedores (B2B), pelos motivos já expostos anteriormente.

    Benefícios para a Sociedade:

    Redução do consumo de papel, com impacto positivo em termos ecológicos;

    Incentivo ao comércio eletrônico e ao uso de novas tecnologias;

    Padronização dos relacionamentos eletrônicos entre empresas;

    Surgimento de oportunidades de negócios e empregos na prestação de serviços ligados a NF-e.

    Benefícios para os Contabilistas:

    Facilitação e simplificação da Escrituração Fiscal e contábil;

    GED - Gerenciamento Eletrônico de Documentos, conforme os motivos expostos nos benefícios das empresas emitentes;

    Oportunidades de serviços e consultoria ligados à NF-e.

    Benefícios para o Fisco:

    Aumento na confiabilidade da Nota Fiscal;

    Melhoria no processo de controle fiscal, possibilitando um melhor intercâmbio e compartilhamento de informações entre os fiscos;

    Redução de custos no processo de controle das notas fiscais capturadas pela fiscalização de mercadorias em trânsito;

    Diminuição da sonegação e aumento da arrecadação sem aumento de carga tributária;

    GED - Gerenciamento Eletrônico de Documentos, conforme os motivos expostos nos benefícios das empresas emitentes;

    Suporte aos projetos de escrituração eletrônica contábil e fiscal da Secretaria da Receita Federal e demais Secretarias de Fazendas Estaduais (Sistema Público de Escrituração Digital – SPED).
  • Qual a diferença nos modelos de certificado A1 e A3?

    A1 - Certificados digitais A1 são certificados digitais válidos por 1 (um) ano, que ficam armazenados no próprio computador do cliente, por isso, não são portáveis. Recomendamos ao cliente que esse tipo de certificado tenha uma cópia de segurança (backup) em disquete, ou em outra mídia portável.
    O certificado digital A1 tem o par de chaves pública/privada gerado em seu computador no momento da emissão do certificado. A chave pública é enviada para a Autoridade Certificadora (AC), com a solicitação de emissão do certificado, enquanto a chave privada fica armazenada no seu computador, devendo, obrigatoriamente, ser protegida por senha de acesso. Este certificado só poderá ser instalado no mesmo computador em que foi efetuada a solicitação. O certificado tipo A1 tem validade de 1 (um) ano.

    A3 - Certificados digitais A3 são certificados digitais portáveis, que são armazenados em cartão inteligente e utilizados por meio de uma leitora que permite o acesso ao certificado em vários computadores diferentes. Apresentam nível de segurança superior.
    O certificado digital A3 oferece maior segurança, pois o par de chaves é gerado em hardware (cartão inteligente ou token) que não permite a exportação ou qualquer outro tipo de reprodução ou cópia da chave privada. A chave pública é enviada para a Autoridade Certificadora (AC), com a solicitação de emissão do certificado, enquanto a chave privada ficará armazenada no cartão ou token protegida por senha de acesso, impedindo tentativas de acesso de terceiros. Com o cartão inteligente ou o token, você pode transportar a sua chave privada de maneira segura, podendo utilizá-la onde você desejar.